Drogas

Cheguei em casa repetindo incessantemente que o erro não iria se repetir. Todo viciado diz que é a última vez, mas nunca é.

Mas eu queria acreditar no mantra que em voz alta dizia: foi a última vez, foi a última vez. Eu acreditava naquilo. Eu precisava acreditar. Quando o vício me consome, irresistíveis forças me envolvem, cego-me e esqueço de todas as consequências.

Já era dia, com a luz do Sol entrando pela janela do banheiro tirei a roupa. Sentia como se cada parte do meu corpo estivesse suja. Desejavam um banho, mas sabia que a água não limparia as marcas dos prazeres que provei naquela madrugada.

Podia ser álcool, outra Droga qualquer, mas meu vício era o sexo. E a água não poderia me salvar das consequências. Nada poderia.

Harvey-Milk

Onde você guarda o seu preconceito?

Hoje, dia 17/05, é o dia internacional contra a homofobia. Aproveitando o assunto quero relembrar aqui um dos meus textos no site A Vida Secreta. O texto é de 2009, mas o assunto continua atual. 

Ter direito a vivenciar e manifestar a própria sexualidade (homo, bi ou hetero) é apenas um dos muitos direitos constitucionais do cidadão, mas… Você já parou para refletir como isso ainda é tabu para muitos? E você, já parou para pensar no assunto?

 

Ser ou Ser?!

“Eu vim recrutar vocês!”

Quem assistiu o filme Milk com certeza lembra desse bordão utilizado por Harvey Milk. O filme conta a história desse homem real que me fascinou. Ele foi um executivo que depois dos 40 anos largou sua vida em Nova Iorque para viver em São Francisco com o namorado e se tornar então o primeiro homossexual declarado a ser eleito para um cargo público na Califórnia.

O filme é brilhante e consegue mostrar a luta dos gays por seus direitos nos anos 70. Um dos muitos momentos que me chamaram a atenção no filme é um no qual Milk diz que os gays precisam “sair do armário”, pois se as pessoas souberem que conhecem, convivem e amam um gay então elas seriam contra a violência contra os homossexuais.

Achei muito interessante e ambígua essa questão, afinal ao mesmo tempo que nós gays – e incluo sempre na palavra gay toda a comunidade LGBT – estamos nos protegendo da sociedade quando nos camuflamos, estamos também aumentando o preconceito e deixando de mostrar para as pessoas que somos gays e não existe nada de errado nisso.

Não é minha intenção me aprofundar no filme, com certeza são muitos os assuntos para serem discutidos e refletidos. Independente da (homos)sexualidade Milk é um filme sobre política e sobre a busca pelos direitos humanos, uma luta pela igualdade. Fica aqui para quem ainda não assistiu a indicação, “Milk, a voz da igualdade”, vale a pena ver e rever.

O que eu posso fazer hoje? Cabe a cada um, hétero ou homossexual (assumido ou não), pensar no que se pode fazer hoje dentro dos limites de cada um para ajudar na luta contra o preconceito.

Um amigo disse que fez a seguinte reflexão com um grupo de jovens católicos: “Seja Gay por um dia!”. Achei a reflexão genial, como ele mesmo disse nós gays passamos anos nos obrigando a pensar que somos héteros, por que um hétero não poderia passar um dia pensando como se fosse gay? Como você viveria se fosse homossexual? Se você acordasse um dia sentindo atração sexual e sentimental por pessoas do mesmo sexo que você? Como você gostaria que as pessoas te tratassem? Afinal até hoje não sabemos quais motivos levam uma pessoa a ser hétero ou ser gay, mas duas certezas posso dizer aqui, ser homossexual não é opção, não escolhemos gostar de homens ou de mulheres. Existe uma orientação sexual e não uma opção, eu não optei ser homossexual e nem você optou ser hétero, certo? Ninguém me perguntou quando era criança: “Você escolhe ser viadinho ou escolhe pegar a mulherada?” Não mesmo, risos.

Outra certeza é de que homossexualidade não é doença, portanto é errado falar homossexualismo, o certo é homossexualidade, pois o sufixo ismo indica doença. Se homossexualidade não é doença não deve ser procurada uma cura e nem um tratamento. Muito menos um exorcista para expulsar um espirito maligno do corpo, honey, definitivamente não, risos.

Lendo o comentário de uma amiga entrei no site do programa “Amor e Sexo” e pude ver o vídeo onde um pai pergunta para psicologa se existe uma maneira de reverter a homossexualidade do filho. Infelizmente as pessoas ainda pensam igual a esse pai, se sentem culpadas por possuir um filho gay. Pode ser difícil descobrir que seu filho é gay, mas lembrem-se que mais difícil é para seu filho se descobrir gay em um mundo onde ainda existe tanta discriminação. Como um outro amigo diz, é preciso ser muito macho para assumir sua sexualidade.

Uma dica para conviver bem com um filho ou amigo gay é agir com naturalidade e sinceridade. Se você não sabe o que fazer procure ajuda, muitos pais já passaram por isso e não é vergonhoso querer entender melhor a sexualidade do seu filho. A Internet facilita muita coisa hoje, existe muita informação e é importante que ela chegue para as pessoas que precisam dela.

A homofobia é uma das muitas formas do preconceito. Ninguém escolhe ser hétero ou ser gay, porém nós somos responsáveis por mudar a sociedade e a nossa maneira de pensar. Lembrando um comercial que assisti repito a pergunta, onde você guarda o seu preconceito?

friday letters

Follow Friday – 2

Enfim a Sexta-feira chegou! Vamos para o Follow Friday de hoje?

friday letters

Quando eu comecei a usar o wordpress, em Setembro de 2007, encontrei alguns blogs que se tornaram muito queridos por mim e de certa forma me influenciaram bastante. Hoje quero dividir um deles com vocês e dois grandes amigos que fiz por causa dele.

Sexualidade, comportamento e histórias envolventes e deliciosas: Me and my secret life era meu destino diário na web. Me and my secret life contava a história da personagem B. O blog durou um ano e deu origem ao A Vida Secreta, um blog informativo sobre sexualidade que se tornou referência na web. B., junto com o amigo e parceiro Admin Secreto, fez a diferença na vida de muitos internautas e mostrou que ser diferente é normal.

Os anos se passaram e me tornei amigo dos dois. Beth Vieira estava por trás da personagem B e Celso Bessa do Admin Secreto. Vamos conferir o A Vida Secreta?

avs

Mas não para por aí, ambos possuem atualmente alguns projetos e blogs pessoais que eu sigo e sempre acompanho.

Celso Bessa é um nerd rebelado e geek retrô. Antenado em tecnologia, cervejas, sexualidade e brigadeiro, seu blog é o www.celsobessa.com.br. Além de muitos novos projetos que logo estarão na web para nossa felicidade.

celso-bessa

O blog da Beth Vieira é o www.facebeth.wordpress.com. Ela é designer de moda por formação e webwriter por paixão. Além disso ela é colunista no Vila Mulher. Beth é uma loba em pele de cordeirinha. Adoro!

facebeth

vila-mulher

Uma ótima sexta-feira para nós e semana que vem tem mais #FF.

Beijo para quem é de beijo. E abraço para todos!