O tempo devora

─ O tempo não existe.
─ O tempo existe, sim, e devora. ( Caio F. )

O ano está chegando ao fim e tenho a impressão que o tempo me devorou. Talvez seja a vida atribulada, crescer tem dessas coisas, mas não posso reclamar.

Muito aprendi e conquistei nos meses que passaram, agora moro sozinho, o que às vezes sempre é uma aventura. Mais responsabilidades e desafios nessa vida de analista de sistemas. ( aproveitando, alguém sabe Ruby on Rails aí? risos… )

Também tenho me dedicado ao aprendizado e prática do espiritismo. Acreditar que temos todos oportunidades infinitas de evoluir me deu um novo entendimento sobre a vida. Buscar o bem nos transforma.

Também comecei a fazer teatro, uma experiência mais que especial que me trouxe novamente para a escrita. A beleza da arte, a beleza de se comunicar com os sentimentos.

Nunca planejei minha vida, deixei que ela me conduzisse e aqui estou, o mesmo Daniel com novos propósitos e desafios. E tenho muita gratidão a todos que fizeram e fazem parte dessa caminhada. E pensando bem, talvez o tempo nem exista. Novamente voltei!

PS. Sim, continuo viado! Beijo na boca de vocês seus lindos, e abraço pros homens héteros porque eu sou respeitador! 😛
a morte

Sobre a Morte e a Vida

a morteSempre quando alguém próximo morre começo a refletir sobre o assunto. Questiono o sentido da vida, a razão de muitas mortes tão prematuras. Doenças, acidentes, assassinatos. Percebo também o valor do tempo, o valor de viver cada dia de uma vez, de me preocupar em ser feliz hoje. Quem coloca a felicidade no futuro pode nunca alcança-la.

Eu já tive medo da morte. Medo de envelhecer sozinho. De não deixar um legado para o mundo, ser esquecido, como se minha vida tivesse sido em vão. A gente tem medo de cada coisa né?

Hoje acredito, por causa do espiritismo , na reencarnação. E que nossa vida é uma escola: estamos na Terra para sermos pessoas melhores, evoluir moralmente. E enquanto não evoluímos o “suficiente” continuamos reencarnando. A ideia de um Deus que nos dá infinitas chances de melhora me parece justa. Em cada vida temos chances diferentes para aprender valores diferentes e tendo sempre o nosso livre arbítrio, onde cada ação tem uma reação – nessa vida ou nas próximas.

Para ser sincero o espiritismo me pareceu uma história de ficção no início. Uma viagem curiosa. Mas tudo que eu aprendi na Igreja Católica não parece também ficção para um Ateu?

Não consigo mais pensar na morte como antigamente. Morrer é seguir para uma nova etapa de uma existência eterna. E o que importa não é a quantidade de anos que se vive, mas sim o bem você fez. Já não tenho mais medo da morte e do tempo. E para a vida procuro dar o melhor de mim e acreditar que o nosso legado é a certeza de ter feito a diferença para o mundo e para mim mesmo.

“Uma existência é um ato. Um corpo – uma veste. Um século – um dia. Um serviço – uma experiência. Um triunfo – uma aquisição. Uma morte – um sopro renovador. Quantas existências, quantos corpos, quantos séculos, quantos serviços, quantos triunfos, quantas mortes necessitamos ainda?” Trecho do livro Nossa Lar

Sobre Páscoa

Venho pensando nos últimos meses sobre a vida. Refletindo sobre quem somos, de onde viemos e para onde vamos. Em um ano mudei de casa, mudei de religião e venho procurando mudar de pensamentos e atitudes.

E mudar de pensamentos e atitudes não é uma tarefa simples. Pelo contrário, mas venho tentando. Venho tentando não julgar as pessoas, as diferenças. Tentando não generalizar. Não devolver o ódio com mais ódio.

Vejo os cristãos – e não quero generalizar – começando uma guerra contra nós, gays. E sei que não é uma situação atual, pelo contrário. Mas por conta do acesso rápido a informação que temos hoje as discussões se tornam muito mais visíveis.

Vejo pessoas querendo impor pensamentos. Eu não quero impor – luto para não impor minhas opiniões. Afinal elas são minhas. É saudável discutir, conversar respeitando a opinião do outro. Mas impor algo é tão brutal. Tão agressivo.

Por isso quero falar de mim, quero dividir minha opinião, meus sentimentos, minha experiência. E o que eu tenho para compartilhar é sobre quem eu sou. Ninguém quer ensinar homossexualidade para ninguém. Isso não existe. As pessoas não entendem que ser gay, ser hétero, ser bi ou ser transsexual não é uma escolha.

Se uma criança é hétero ela não vai virar gay vendo dois homens gays juntos. O que eu vejo, minha realidade, são diversas crianças gays que sofrem preconceito. Que são rejeitadas por serem diferentes.

E é essa mentalidade que precisa mudar. Não queremos incentivar a homossexualidade. Queremos incentivar o bem estar de quem já é gay. A humanidade não vai se tornar homossexual. A família tradicional não vai acabar se os gays também se casarem. A pequena porcentagem de pessoas que nasce gay vai ter o direito de ser feliz – ou infeliz né? – na vida a dois assim como todo mundo. Mesmos direitos.

Algum heterossexual pode me responder em que momento escolheu ser hétero? Pois bem, eu também não escolhi ser gay. E pode ter certeza que perguntei muito tempo a Deus porque Ele me fez diferente. Ainda não tive essa resposta, mas aprendi a olhar a vida de uma nova maneira. O que aprendi sendo gay?

Aprendi a aceitar as pessoas independe de suas diferenças. Amar as pessoas independente de suas diferenças. E por isso eu sou grato.

Para quem acredita em Jesus, e até para quem não acredita, ele nos trouxe uma mensagem de amor. Uma mensagem onde todos deveriam ser caridosos e buscar ajudar aos próximos. Amar aos próximos. Jesus amou os diferentes, em todo momento a Bíblia mostra isso, e por isso minha opinião, e a que quero dividir com vocês agora, é que nessa Páscoa – um momento que Jesus ressuscita, mostrando que a morte não é o fim. Mostrando que sua mensagem de amor é verdadeira, possamos apenas levar a mensagem de amor, de caridade Dele. Pois Ele nos ama incondicionalmente e é isso que importa.

Jesus morreu por nós. E você tem “morrido” por alguém? Tem doado sua vida, seu tempo para ajudar alguém? Para fazer o bem a alguém?

Orientação sexual não indica caráter. Religião também não. Que o verdadeiro sentido da Páscoa possa fazer nascer em nós pessoas melhores, verdadeiros cristãos. Boa Páscoa e que assim seja.

Tema 1 – Educação

Desde setembro estou fazendo um curso chamado Escola de Aprendizes do Evangelho, cujo objetivo é aprofundar os ensinamentos de Jesus pelo ponto de vista espírita, que não é tão diferente de outras religiões cristãs.

Além disso outro objetivo da escola é a reforma íntima. A reflexão é fundamental para ganharmos entendimento dos nossos defeitos e qualidade e buscar ser uma pessoa melhor.

Me livrei de certos preconceitos e fui conhecer o espiritismo por curiosidade. Fiquei impressionado de como diversos pontos de vista da doutrina combinavam comigo e então resolvi fazer o curso para aprender mais.

Uma das atividades do curso é o caderno de temas, que consiste em temas periódicos para a reflexão. Decidi então dividir essas reflexões aqui no blog também. Convido quem quiser também escrever uma reflexão sobre o tema. Vamos lá então…

Tema 01: “Nas lutas habituais, não exija a educação do companheiro. Demonstre a sua”.

É fácil amar quem nos ama. Assim também é fácil para mim conviver com quem é gentil, educado, simpático. Trato bem e com educação as pessoas nas diversas situações.

Mas quando alguém me trata de maneira agressiva preciso me esforçar muito para manter a calma e o controle. Muitas vezes respondo uma grosseria com outra, como que se quem gritasse por último gritasse melhor.

A vontade de me defender com atitudes negativas é quase que natural e instintiva, porém tenho a consciência que a paciência e a humildade são fundamentais para manter a educação e a convivência com as pessoas, apesar de que nem sempre é fácil usar tais virtudes.

Mudar

Se o primeiro semestre de 2012 tivesse um nome seria Mudanças. Bem, eu sei que os semestres não tem nomes, a vida não é um seriado americano e não vivemos em temporadas. Mas sou um rapaz desses meio loucos que gostam de sonhar um pouco e ver a vida de formas diferentes. Então perdoem a minha imaginação. Ou não.

Primeiramente mudei de casa. Novos vizinhos, novos móveis e nova rotina. Acordar uma hora mais cedo para trabalhar está sendo complexo risos… espero que faça bem pra pele pelo menos.

Casei. Isso mesmo…. estou morando com o meu namorado. Agora é meu marido? Namorido? E apensar de todos os medos estou adorando a vida de casado nesses primeiros dois meses.

Também comecei um projeto empreendedor com dois amigos. (Um beijo pra B. pro Admin Secreto e pra você Xuxa!!).

Além disso também estou me reaproximando da religião. Me afastei da Igreja Católica há alguns anos por não concordar com alguns pontos, inclusive sobre a homossexualidade. Estou conhecendo melhor o Espiritismo e pra ser sincero estou gostando do que estou aprendendo. Mas esse é assunto pra um outro Post. Né?

Bastante mudança pra menos de seis meses. E estou feliz com todas elas. Animado e brincando de seriado americano. risos.. aLoca.

Mudar é preciso. Quais as mudanças de vocês nos últimos tempos em?

Beijo na boca da Srta K. Vem danças comigo e viver nossa ilusão!! ( Ilusões com Adam Levine! A-D-O-R-O-O!! )