Sobre a Morte e a Vida

a morteSempre quando alguém próximo morre começo a refletir sobre o assunto. Questiono o sentido da vida, a razão de muitas mortes tão prematuras. Doenças, acidentes, assassinatos. Percebo também o valor do tempo, o valor de viver cada dia de uma vez, de me preocupar em ser feliz hoje. Quem coloca a felicidade no futuro pode nunca alcança-la.

Eu já tive medo da morte. Medo de envelhecer sozinho. De não deixar um legado para o mundo, ser esquecido, como se minha vida tivesse sido em vão. A gente tem medo de cada coisa né?

Hoje acredito, por causa do espiritismo , na reencarnação. E que nossa vida é uma escola: estamos na Terra para sermos pessoas melhores, evoluir moralmente. E enquanto não evoluímos o “suficiente” continuamos reencarnando. A ideia de um Deus que nos dá infinitas chances de melhora me parece justa. Em cada vida temos chances diferentes para aprender valores diferentes e tendo sempre o nosso livre arbítrio, onde cada ação tem uma reação – nessa vida ou nas próximas.

Para ser sincero o espiritismo me pareceu uma história de ficção no início. Uma viagem curiosa. Mas tudo que eu aprendi na Igreja Católica não parece também ficção para um Ateu?

Não consigo mais pensar na morte como antigamente. Morrer é seguir para uma nova etapa de uma existência eterna. E o que importa não é a quantidade de anos que se vive, mas sim o bem você fez. Já não tenho mais medo da morte e do tempo. E para a vida procuro dar o melhor de mim e acreditar que o nosso legado é a certeza de ter feito a diferença para o mundo e para mim mesmo.

“Uma existência é um ato. Um corpo – uma veste. Um século – um dia. Um serviço – uma experiência. Um triunfo – uma aquisição. Uma morte – um sopro renovador. Quantas existências, quantos corpos, quantos séculos, quantos serviços, quantos triunfos, quantas mortes necessitamos ainda?” Trecho do livro Nossa Lar

Anúncios

5 pensamentos sobre “Sobre a Morte e a Vida

  1. Não sei se temo a minha morte, mas certamente temo a morte dos que amo. Já cheguei a pensar que a finitude do outro me dá a certeza da minha própria finitude. Creio que a religião, de um modo geral, seja ela qual for, traz um certo alento. O espiritismo ainda mais, pois traz respostas e, sobretudo esperança, para um mundo que não acaba aqui…

    • Acabei não abordando no texto, mas a morte dos que amo também me incomoda. Agora menos, mas ainda me incomoda. A gente quer ter sempre elas perto de nós né?
      Beijos

  2. Eu incorporei a doutrina espírita ao meu jeito de pensar, já fui de frequentar centros direito, hoje em dia não mais, mas acho que nunca vou deixar de acreditar na filosofia, em reencarnação e tudo mais.

    Tenho muito medo de envelhecer e tudo que ele traz em limitação para o corpo, mas da morte nunca tive medo, vou te confessar que em certos momentos até acho que ela cairia bem se viesse de forma natural, mas só em certos momentos… rs.

    Beijocas

    • As limitações que envelhecer traz também me incomodam. Preciso cuidar melhor do meu corpo hoje, talvez assim essas limitações sejam menores.

      Beijão

Deixe um comentário...

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s