Insônia

Estou tentando dormir há horas, mas não consigo. Um tanto por preocupação e ansiedade.

Talvez escrever seja um desabafo, uma esperança de tirar todo desespero de um amanhã incerto.

E olha, não quero reclamar não, já reclamei demais da vida e aprendi a não ser vítima dos meus problemas. Os problemas estão aí para nos tornar fortes, sábios. Um dia seremos senhores de nossos dilemas.

Quero muitas coisas para o amanhã cheio de incertezas. Uma nova oportunidade de cumprir promessas há tempo esquecidas, devoradas pela rotina e pelo pessimismo presente aqui, dentro de mim.

Desabafar não é reclamar. É apenas se livrar do peso de todo medo que habita minha alma. Apenas abraçar o amanhã com coragem, fé e determinação.

E como disse Caio F. Abreu, porque era cedo demais e nunca tarde. Bom dia.

 

Drogas

Cheguei em casa repetindo incessantemente que o erro não iria se repetir. Todo viciado diz que é a última vez, mas nunca é.

Mas eu queria acreditar no mantra que em voz alta dizia: foi a última vez, foi a última vez. Eu acreditava naquilo. Eu precisava acreditar. Quando o vício me consome, irresistíveis forças me envolvem, cego-me e esqueço de todas as consequências.

Já era dia, com a luz do Sol entrando pela janela do banheiro tirei a roupa. Sentia como se cada parte do meu corpo estivesse suja. Desejavam um banho, mas sabia que a água não limparia as marcas dos prazeres que provei naquela madrugada.

Podia ser álcool, outra Droga qualquer, mas meu vício era o sexo. E a água não poderia me salvar das consequências. Nada poderia.

O tempo devora

─ O tempo não existe.
─ O tempo existe, sim, e devora. ( Caio F. )

O ano está chegando ao fim e tenho a impressão que o tempo me devorou. Talvez seja a vida atribulada, crescer tem dessas coisas, mas não posso reclamar.

Muito aprendi e conquistei nos meses que passaram, agora moro sozinho, o que às vezes sempre é uma aventura. Mais responsabilidades e desafios nessa vida de analista de sistemas. ( aproveitando, alguém sabe Ruby on Rails aí? risos… )

Também tenho me dedicado ao aprendizado e prática do espiritismo. Acreditar que temos todos oportunidades infinitas de evoluir me deu um novo entendimento sobre a vida. Buscar o bem nos transforma.

Também comecei a fazer teatro, uma experiência mais que especial que me trouxe novamente para a escrita. A beleza da arte, a beleza de se comunicar com os sentimentos.

Nunca planejei minha vida, deixei que ela me conduzisse e aqui estou, o mesmo Daniel com novos propósitos e desafios. E tenho muita gratidão a todos que fizeram e fazem parte dessa caminhada. E pensando bem, talvez o tempo nem exista. Novamente voltei!

PS. Sim, continuo viado! Beijo na boca de vocês seus lindos, e abraço pros homens héteros porque eu sou respeitador! 😛

Feliz 2014

Estou buscando. Preciso buscar e por isso mudo. Há quem não suporte a mudança. Há quem necessite dela para suportar a vida.

Eu ainda não sei bem onde me encaixo. Sei que preciso mudar muito mais dentro de mim do que fora. Hoje acredito que estou aqui para isso e assim viver ganha um novo propósito. O mundo me dá novas oportunidades e por isso sou grato.

Que 2014 traga todas as mudanças que promete e que elas me ensinem o que eu necessito aprender. Feliz Ano Novo!

Sobre defeitos

Olho no espelho e vejo tantos defeitos. 2013 me mostrou tão diferente do que me imaginava. Tão incoerente de quem eu me mostrava. Mas também me deu a chance de mudar. Melhorar-me. Os defeitos incomodam, o espelho incomoda. Queria não precisar vê-lo. Queria fingir que não me reconheço na lama. Mas sou eu, ali, deitado, olhar perdido, esperando sabe lá o quê. O quê?

Quem eu fui, quem eu sou e quem desejo um dia ser?

26

O quanto a gente muda em um ano? O quanto a gente muda em uma vida?
Viver é mudança. É crescer, aprender e tropeçar. Ás vezes é choro e outras riso. E apesar de tudo ser feliz.
E felicidade não é a ausência de problemas. Felicidade é só ponto de vista. É como eu encaro um problema. É como eu encaro a vida.
Mas o que define a minha felicidade? O que me define?
Minha profissão? Minha família e meus amigos? Minha religião ou minha orientação sexual? Meus medos, meus sonhos?
Não sou mais quem era ontem e não tenho medo de quem serei amanhã. Nem medo do tempo, pois a vida não cessa.
Nada é por acaso nem em vão. Tudo é consequência e assim sou grato.
Obrigado aos amigos de todos os momentos! Obrigado a Deus por meus vinte e seis anos.
E que venham as mudanças!

“Talvez tudo, talvez nada. Porque era cedo demais e nunca tarde.” Caio F. Abreu

meio-fio

Eu estava lá, sentado no meio-fio esperando por você. Eu estava lá.
Tinha momentos que eu me perdia observando a lua, outros momentos eu te observava.
Você estava despido de todo figurino e eu quase não te reconhecia. Eu tentei gritar, eu queria gritar. Eu gritei, mas você não me ouvia.
Eu acho que foi um sonho. Eu queria que fosse, mas não era.
E você ria, olhava. Não para mim, nem para a lua, mas para os outros. Você sorria e eu queria sorrir também.
Eu queria dividir essa sua alegria doentia. Eu queria ser doente também e não me importar com nada. Ninguém.
Queria menos dor, menos peso. Mas meu corpo pesava e te alcançar era impossível.
Sorrir também.